Anúncios

A Liquigás Distribuidora – empresa do Sistema Petrobras que atua no envase e distribuição de GLP (Gás Liquefeito de Petróleo) – realiza no Brasil os testes do LEV, o novo botijão de gás feito a partir de novos materiais incluindo termoplásticos reforçados com fibra de vidro e polietileno de alta densidade, que se destaca por seu design inovador, pela leveza e modernidade.

É a primeira vez que este tipo de botijão chega ao mercado nacional, depois de ter obtido sucesso internacionalmente. O projeto do LEV se insere na política da Liquigás de atuar de forma inovadora e de disponibilizar uma ampla gama de produtos ao mercado de GLP.

A Companhia importou cerca de seis mil vasilhames do LEV, com capacidades de 5 kg e 9 kg de GLP. Estes botijões estão sendo utilizados para teste de mercado nas regiões metropolitanas de São Paulo, Porto Alegre e Rio de Janeiro. Sete revendedores Liquigás realizaram a distribuição do novo botijão para consumidores finais, durante 90 dias, com o objetivo de avaliar a aceitação do novo vasilhame. A expectativa é que 12 mil consumidores avaliem o LEV.

“Com o LEV, a Liquigás reforça mais uma vez seu pioneirismo e posicionamento de empresa inovadora, capaz de oferecer variedade de produtos, conveniência e qualidade aos seus consumidores finais”, destaca o Presidente da Liquigás, Antonio Rubens Silva Silvino.

O LEV possui internamente um invólucro de aço, reforçado com fibra TWINTEX (fibra de vidro com termoplástico), e externamente é revestido com uma cobertura rígida de polietileno de alta densidade. Essa configuração da embalagem, já certificada pela TÜV Rheinland, órgão acreditado pelo INMETRO, faz com que esse vasilhame seja aproximadamente 20% mais leve do que o tradicional botijão de aço, e tenha um acabamento mais bonito e elegante, com linhas mais harmônicas e novas cores.

“Sucesso nos mercados americano, europeu e asiático, o LEV se destina a todos os consumidores finais de GLP, principalmente os residenciais, e também para consumidores específicos, para os quais o peso, o material e as dimensões do vasilhame fazem a diferença, como os usuários de trailers e embarcações”, afirma o Diretor de GLP Envasado da Liquigás, Paolo Ditta.

O LEV – marca desenvolvida para a Liquigás – ainda apresenta vantagens econômicas e de sustentabilidade, pois toda sua cobertura rígida, de polietileno de alta densidade, é elaborada com material reciclável. Por ser mais leve, toda a movimentação logística do botijão poderá gerar uma redução no consumo de combustíveis da frota de caminhões da empresa, reduzindo assim as emissões de poluentes na atmosfera. Além de peso menor, o LEV possui alças ergonômicas que facilitam o transporte e o manuseio pelo consumidor. A válvula de acoplamento é igual à do tradicional botijão de 13 kg, o que permite o uso dos reguladores presentes no mercado.

O projeto do LEV no Brasil está sendo dirigido pela Liquigás,e trata-se de uma parceria da Companhia – líder nacional em vendas de botijões de até 13 kg – com as empresas AMTROL ALFA, a maior fabricante de botijões do mundo (responsável pelo desenvolvimento do produto em Portugal), e a Braskem, a maior petroquímica das Américas em capacidade de resinas termoplásticas e fornecedora das resinas para os botijões deste piloto. Há ainda um estudo entre as três parceiras de testes para a fabricação do novo botijão no Brasil.

(Fonte: Blog do Plástico, 05 de junho de 2012)

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) aprovou, nesta terça-feira (19/06), o Projeto de Lei 1480/03, do deputado Lincoln Portela (PR-MG), que obriga os fabricantes a divulgarem nas embalagens de produtos alimentícios altamente calóricos mensagens de advertência sobre os riscos da obesidade

O relator, deputado Dr. Grilo (PSL-MG), analisou a constitucionalidade da proposta e defendeu sua aprovação. “A iniciativa é valida, pois compete à União editar normas gerais sobre a proteção e defesa da saúde”, argumentou o deputado.

Atribuições do Executivo
Dr. Grilo, no entanto, apresentou emenda para corrigir “vício de constitucionalidade” em dois parágrafos da proposta. Ele retirou do texto a determinação para que as autoridades sanitárias definam em regulamento os alimentos classificados como “altamente calóricos” e a obrigação para que as embalagens dos produtos divulguem as normas definidas pelo Executivo.

Para o relator, esses trechos representam “clara invasão de competência” às atribuições do Poder Executivo e, por isso, foram retirados.

Tramitação
A proposta teve seu mérito rejeitado pelas comissões de Defesa do Consumidor; e de Seguridade Social e Família, mas aprovado pela Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio. A matéria segue agora para análise do Plenário.

Íntegra da proposta:PL-1480/2003

Fonte: Agência Câmara de Notícias (21/06/2012)

Quem já acampou sabe o quanto é chato e pesado levar panela para cozinhar no meio do mato. Pensando nisso foi criado o produto HEXA POT, uma embalagem de papel biodegradável que não queima e pode ser usada como panela. A embalagem se desfaz em 24 meses na natureza.

O melhor desse produto é não precisar lavar panela.

Fonte: www.hypeness.com.br

Graduado em Desenho Industrial pela Fundação Armando Álvares Penteado (1989) e Mestre em Engenharia de Produção pela Universidade Paulista (2004), Milton Francisco Júnior será responsável pela disciplina “Processo de Transformação: Materiais, Tecnologias e Inovação” no curso de Pós Graduação “Design e Inovação em Sistemas de Embalagem”, que será oferecido pela Universidade Presbiteriana Mackenzie a partir de agosto.

Milton Francisco Júnior é professor adjunto da Fundação Armando Álvares Penteado e professor da Universidade Mackenzie. Tem experiência na área de Desenho Industrial, com ênfase em Projeto de Produto, atuando principalmente nos seguintes temas: ecologia industrial, materiais e processos industriais.

O objetivo da disciplina é oferecer ao aluno conceitos fundamentais dos tipos de materiais oferecidos pela indústria possibilitando elaborar um critério de seleção dos materiais e processos de fabricação, além de realizar um comparativo entre materiais e processos em relação ao investimento em todo o sistema. Tudo isso com a visão da racionalização dos recursos e a aplicação dos conceitos de sustentabilidade na área de embalagem com seu impacto econômico, ecológico e social.

As inscrições para o curso estão abertas até o dia 24/06. Para mais informações sobre o curso, clique aqui.

Graduado em Desenho Industrial (Programação Visual) pela Universidade Presbiteriana (2000) e Mestre em Arquitetura e Urbanismo pela mesma universidade (2011), Alex Mazzini será responsável pela disciplina “Marketing, Branding e Design Emocional em Embalagem” no curso de Pós Graduação “Design e Inovação em Sistemas de Embalagem”, que será oferecido pela Universidade Presbiteriana Mackenzie a partir de agosto.

Alex Mazzini é professor na Universidade Presbiteriana Mackenzie (FAU-DI) e nas Faculdades Integradas Rio Branco, além de ser editor na Altamira Editorial. É especialista em Branding – Gestão de Marcas pelas Faculdades Integradas Rio Branco (2004) e tem experiência na área de Desenho Industrial, com ênfase em Programação Visual, atuando principalmente nos seguintes temas: design, tipografia e edição de livros.

O objetivo da disciplina é oferecer ao aluno conceitos fundamentais do marketing e de branding para a construção de marcas fortes. A disciplina também tem o objetivo de proporcionar uma visão estratégica e crítica sobre a importância da embalagem na construção de grandes marcas.

As inscrições para o curso estão abertas até o dia 24/06. Para mais informações sobre o curso, clique aqui.

A Tetra Pak desenvolveu uma embalagem especial para suco de laranja que está sendo distribuído durante a Rio + 20. O objetivo é promover o consumo da bebida brasileira.

Estão sendo distribuídas 30 mil caixinhas aos participantes da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, que vai até o próximo dia 24.

A ação é feita em parceria com a Citrus Br (Associação Nacional dos Esportadores de Sucos Cítricos), a GlobalFruit e o Governo do Estado de São Paulo.

Além dessa ação, a Tetra Pak está demonstrando o processo de reciclagem das embalagens cartonadas assépticas no estande do Governo do Estado de São Paulo.

Fonte: www.embalagemmarca.com

Docente e pesquisadora da Universidade Presbiteriana Mackenzie, no Curso de Desenho Industrial, e professor adjunto da Fundação Armando Álvares Penteado, no Curso de Design, Teresa Riccetti será responsável pela disciplina “Gestão de Projeto de Embalagem” no curso de Pós Graduação “Design e Inovação em Sistemas de Embalagem”, que a Universidade Presbiteriana Mackenzie oferecerá a partir de agosto.

Teresa Riccetti é Bacharel em Desenho Industrial pela Fundação Armando Alvares Penteado (1989), Mestre em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo (1999) e Doutora em Ciências pela UNIFESP (2009). Tem experiência na área de Design, com ênfase em Design de Produtos e Interiores, atuando principalmente nos seguintes temas: mobiliário, ambiente doméstico e equipamento doméstico e Director Design.

O objetivo da disciplina é oferecer ferramentas para o gerenciamento de projetos, capacitando o aluno ao gerenciamento de projetos compatíveis com as interfaces de atuação – criação, branding, business, tecnológica e sustentável -, além de refletir sobre o impacto do gestor de projeto sobre o produto, a seu ciclo de vida e a sociedade.

As inscrições para o curso estão abertas até o dia 24/06. Para mais informações sobre o curso, clique aqui.

%d blogueiros gostam disto: